5Gbet
Compartilhe

Empreendedor transforma tradição carnavalesca dos Caretas de Triunfo em um bom negócio para o ano todo

Após formalização, o líder do Grupo Caretas Alto Astral passou a lucrar com apresentações e venda de artesanato
PorAdriana Amâncio
5Gbet
Compartilhe

Nascido na área rural de Triunfo, cidade do Sertão de Pernambuco, a 400 km do Recife, Abraão Alves, de 52 anos, fundou a Treca Caretas Alto Astral em 1982, aos 10 anos, época em que foi morar na área urbana. Treca é o nome que se dá a um grupo de caretas, personagens mascarados que, há séculos, alegram o carnaval sertanejo. Por 30 anos, o trabalho manteve-se pelo amor à cultura. Há dez anos, Abraão, que é o enfrentante, ou seja, líder do grupo, se formalizou e passou a atender diversos mercados de cultura, com exibição de espetáculos, figuração em peças publicitárias e venda de artesanato.

Na tradição do Carnaval de Triunfo, os Caretas têm uma ocasião reservada só para eles. A segunda-feira é consagrada como o Dia dos Caretas. O momento é esperado tanto pelos moradores quanto pelos turistas que chegam à cidade, atraídos pela manifestação cultural. Essas figuras usam chapéu com adornos, máscara, calça, camisa e o relho, um chicote que, ao cortar o ar e tocar o chão, produz um som peculiar que virou a marca dos mascarados. Abraão aprendeu com os mais velhos o significado da manifestação e começou a praticá-la. “Essa tradição é passada de forma oral, de pai para filho, para não deixar morrer. Esse é o orgulho da gente”, explica.

Perpetuar uma tradição cultural exige tempo e cuidado. Equilibrar a dedicação aos Caretas com o trabalho para garantir a renda sempre foi um desafio para Abraão. Ele conciliava as apresentações com o emprego na Prefeitura de Triunfo. Em 2014, descobriu que a tradição carnavalesca dos Caretas poderia se tornar um empreendimento para gerar renda ao longo de todo o ano. “A gente recebia convite das empresas, mas quando perguntavam se emitíamos nota fiscal e dizíamos que não, eles diziam que não podiam nos contratar”, recorda.

Ao saber que poderia se formalizar e emitir nota fiscal, Abraão encontrou a solução para aliar tradição e empreendedorismo. “Agora, a gente se apresenta e emite a nota direitinho”, explica. Após a formalização, o céu foi o limite para a Treca Alto Astral. O grupo já se apresentou em eventos privados, hotéis e espaços de lazer, além de outras cidades, como Serra Talhada, Floresta, Araripina, Petrolina e Belém do São Francisco, chegando até a outros estados, como Bahia e Ceará. “Têm vezes que a gente não consegue dar conta de tanta agenda”, pontua.

Outro mercado que o grupo acessou foi o da publicidade. Os Caretas da Treca Alto Astral estrelam chamadas de carnaval de grandes emissoras de televisão de Pernambuco. “A gente viajou para Olinda e foi gravar o comercial, recebemos o nosso cachê com a nossa nota fiscal”, comemora.

Triunfo fica a pouco mais de mil metros acima do nível do mar. Essa localização confere à cidade um clima frio, destoando das cidades vizinhas, que costumam apresentar temperaturas quentes ao longo do dia e mais frias à noite. Essa condição faz com que a cidade seja um endereço procurado por turistas o ano todo. Além da beleza geográfica, a cultura é outro atrativo da cidade – e é aí que o artesanato feito com peças da indumentária da Treca Alto Astral ganha espaço.

Abraão Alves, 52 anos, fundou a Treca Caretas Alto Astral em 1982.

Eles produzem chapéus, máscaras e relhos e distribuem nas lojas de artesanato para o consumo dos turistas. “O pico dos nossos negócios é o Carnaval, mas nós nos apresentamos e os turistas compram o nosso artesanato o ano todo. Hoje, o lucro gerado garante o sustento de alguns membros e complementa a renda de outros”, informa Abraão. Pela importância histórica e cultural, a Treca Alto Astral ganhou um espaço especial no Museu A Casa do Careta de Triunfo e recebeu uma homenagem na Câmara de Vereadores da cidade.

  • Artesanato
  • caretas
  • Carnaval
  • Cultura
  • Trecas