5GbetAtualização
Compartilhe

COP 28: Sebrae firma compromisso pela mudança climática

De olho na COP 30, em Belém, delegação brasileira busca posicionar as micro e pequenas empresas como figuras centrais no avanço da transição energética no Brasil
PorRedação
5GbetAtualização
Compartilhe

O Sebrae está presente na COP28, a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que acontece até o dia 12 de dezembro, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. A instituição faz parte da maior delegação brasileira já enviada a uma cúpula do clima e vai reiterar o papel estratégico dos mais de 15,4 milhões de pequenos negócios no país na transição energética. A missão acontece em momento fundamental, quando o Brasil se prepara para a COP30, que será realizada em Belém (PA), em 2025.

No Pavilhão do Brasil, o presidente do Sebrae, Décio Lima, e o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Jorge Viana, dialogaram sobre as perspectivas para o evento no Brasil e defenderam o papel estratégico das micro e pequenas empresas na redução de emissões de gases de efeito estufa e na implementação de práticas mais sustentáveis no país. Em comum, as duas instituições reiteram o protagonismo do Brasil na agenda energética mundial.

Nossa orientação dentro da economia globalizada e nossa presença na COP 28 recebe a atenção da Apex devido ao papel das MPE na economia verde. A missão do Sebrae é justamente mostrar que o caminho para o desenvolvimento sustentável passa, necessariamente, pelos pequenos negócios brasileiros.

Décio Lima, presidente do Sebrae.

Segundo Jorge Viana, a mudança do clima é “uma ameaça à vida e impacta os mais frágeis: os países, as populações e as empresas mais frágeis”. As entidades trabalham juntas para que o debate sobre meio ambiente seja liderado pelo Brasil. “O Brasil volta a ter um protagonismo que é fundamental pra nós”, disse Viana.

Brasil assume liderança na agenda climática

Em seu discurso para Chefes de Estado e Governo na COP 28, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou que o Brasil vem cumprindo a sua parte em frear o impacto das mudanças climáticas no mundo, mas lamentou que acordos como o Protocolo de Kyoto, de 1997, ou os Acordos de Paris, de 2015, não estejam sendo implementados. “O caminho desta COP28 à COP30, no Brasil, ditará nosso futuro. Aqui, faremos o primeiro balanço global do Acordo de Paris. Na COP29, definiremos um novo objetivo de financiamento. E em Belém formularemos novas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs)”, afirmou Lula.

“O Brasil se comprometeu a reduzir 48% das emissões até 2025 e 53% até 2030, além de atingir neutralidade climática até 2050. Nossa NDC é mais ambiciosa do que a de vários países que poluem a atmosfera desde a revolução industrial no século XIX”, acrescentou. Além disso, Lula trouxe em sua fala que o Brasil está firme no compromisso de zerar o desmatamento na Amazônia até 2030 e reduziu seu avanço em quase 50% nos 10 primeiros meses deste ano, o que evitou a emissão de 250 milhões de toneladas de carbono na atmosfera.

  • COP 28
  • desenvolvimento sustentável
  • Dubai
  • Mudanças climáticas
  • transição energética