5Gbet - religiosidade – 5Gbet – 5Gbethttps://www.emedist.comAcesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasMon, 08 Jan 2024 13:27:12 +0000pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=6.4.35Gbet - religiosidade – 5Gbet – 5Gbethttps://www.emedist.com/cultura-empreendedora/sonho-de-vestir-o-papa-levou-maranhense-a-faturar-r-200-mil-por-mes/Mon, 08 Jan 2024 13:23:47 +0000https://www.emedist.com/?p=19579Maria de Nazaré Carvalho Nascimento viveu anos sob domínio do marido, com quem morava em Grajaú, cidade no interior do Maranhão. A dona de casa dedicada à criação dos filhos, que sequer podia frequentar a igreja, lamentava-se pela realidade de violência doméstica e dependência financeira. Até que, com a ajuda do avô, conseguiu fazer um curso de costura sem o conhecimento do marido. Ali começaria a reviravolta na história da maranhense, que vive em um novo casamento e, com a ajuda dos filhos, lidera uma loja de paramentos religiosos que comercializa para o Brasil e o mundo.

Às escondidas, Nazaré passou a costurar para os vizinhos, em encomendas para todo tipo de ocasião. Ela usava uma máquina de costura antiga que o marido havia comprado para consertar as roupas da família e dos quatro filhos. As memórias afetivas da infância, quando estudava em escola de freiras, falou mais alto e Nazaré iniciou as tentativas para costurar vestes litúrgicas. As dicas vieram principalmente de um primo padre, que a ensinou a simbologia e a cor de cada peça católica.

Finalmente, em 2001, após 19 anos de casada, Nazaré tomou coragem e se divorciou. Para recomeçar, ela vendeu um sítio do falecido pai por R$ 7 mil, dividiu o dinheiro com a mãe e, com a sua metade e duas máquinas de costura, partiu rumo a São Luís. Lá, ela chegou a racionar alimento para conseguir comprar os primeiros metros de tecido: “Eu comprava 1 metro para montar uma peça, com o dinheiro que recebia comprava mais 1 metro para outra. O lucro que eu tinha eu mandava para as minhas filhas”, revela.

A muito custo, Nazaré conseguiu produzir um conjunto de peças e, de indicação em indicação, teve a oportunidade de expor no salão paroquial da Igreja da Sé. Ali aconteceu a multiplicação dos pães na vida dela: “Quando fiz a exposição, começaram os pedidos. Aí, precisei de mais de uma pessoa para ajudar, depois mais uma, mais outra”. Naquele dia, nasceu então a Paramentos Religiosos Ateliê, que carregava um grande propósito da empreendedora. “Meu sonho era fazer roupa para o Papa”, conta a maranhense.

Foram anos de lutas, desafios e barreiras superadas. Hoje, a empresa produz 1.300 diferentes modelos e tamanho e, o melhor, os religiosos recorrem ao Ateliê para comprar vestes e lembranças quando vão visitar o Papa! “É preciso sonhar um sonho proibido para alcançar a realidade desejada. A pessoa tem que ter muita coragem e foco porque não basta querer empreender. Além de paciência e fé em Deus”, destaca Nazaré, que cumpre a missão de evangelizar com a difusão das vestes litúrgicas.

Os produtos incluem camisas clericais, casulas, túnicas, estolas, vestes para Batismo, Eucaristia e Coroinhas, colarinho romano. Há também conjuntos para altar com alfaias e sobrepeliz, dalmáticas, estolas de aconais, além de camisetas personalizadas e bandeiras dos apostolados. Os preços variam de R$ 25 a R$ 1.700, sendo que alguns modelos chegam a ser bordados com fios de ouro.

Digitalização

Maria de Nazaré procurou o Sebrae para se capacitar e, ano após ano, foi trilhando sua jornada empreendedora. Ela fez cursos ligados à confecção, moda e gestão de empresas, participou de palestras e se graduou em Administração. A grande virada nas vendas veio em 2011, quando, com o suporte do Sebrae, ela criou a loja virtual do Ateliê Paramentos Religiosos. Apoio que Nazaré faz questão de tornar público em suas falas e no próprio site, com “a empresa recebe desde o início a assistência do Sebrae Maranhão”.

Por meio do e-commerce vieram clientes de todo o Brasil e os primeiros pedidos da Itália. As mercadorias são comercializadas na Itália, Estados Unidos, Canadá e Portugal. O sucesso do negócio foi tão grande que Nazaré foi convidada para carregar a tocha olímpica nos jogos Rio 2016. “Às vezes fico pensando como consegui chegar aqui. Antes eu comprava um metro de tecido. Hoje compro dezenas de peças, com 50 metros cada, tudo de uma vez. É por isso que eu digo, nunca é tarde para ser feliz. Tudo na minha vida foi um milagre”, afirma Nazaré, que pretende escrever um livro com a sua história.

Tempos de vacas magras

O momento mais difícil da trajetória empreendedora de Nazaré foi durante a pandemia, em 2020, com os comércios fechados. “Eu tive medo, mas a empresa tinha caixa e decidi não demitir funcionários”, conta, orgulhosa. Da necessidade de fazer a conta fechar, surgiu a ideia de confeccionar máscaras, com entregas feitas a domicílio. “Junto com os funcionários, vencemos aquela luta”. Essa experiência foi a deixa para, na recuperação da pandemia, abrir uma nova frente de negócio, malharia dedicada às festas religiosas.

Não se pode desistir na primeira dificuldade, senão negócio nenhum vai para frente. Todo empreendedor deve ficar atento à situação financeira e a eventualidades.

Na empresa familiar, o esposo de Nazaré fica à frente da malharia, enquanto os quatros filhos se dedicam aoe-commerce, caixa, bordado edesigner das peças. Segundo ela, o sucesso caminha lado a lado com o trabalho duro, o compromisso e a humildade: “O segredo é encarar o negócio com seriedade e honestidade, ser pé no chão e estar preparado para novos rumos”.

]]>
5Gbet - religiosidade – 5Gbet – 5Gbethttps://www.emedist.com/cultura-empreendedora/artesanato-ganha-espaco-na-romaria-de-trindade/Mon, 26 Jun 2023 19:22:45 +0000https://www.emedist.com/?p=14418Guiados pela fé e a devoção ao Divino Pai Eterno, a romaria de Trindade, cidade com 132 mil habitantes que fica na Região Metropolitana de Goiânia, a 27 km da capital, recebe anualmente cerca de 3 milhões de fiéis e turistas de todos os cantos do país. Considerado o terceiro maior evento religioso católico do Brasil, a festa começa no último domingo do mês de junho, tem a duração oficial de dez dias e atrai fiéis que caminham por 18 quilômetros, na rodovia GO-060, conhecida como Rodovia dos Romeiros, para agradecer ou pagar promessas.

-

Estande do Sebrae na Festa do Divino Pai Eterno reúne trabalhos de artesãos.

Durante a peregrinação, os devotos passam por 14 estações que representam a Via Sacra (trajetória de Cristo até a ressurreição) e chegam à Basílica, o único santuário do mundo dedicado ao Divino Pai Eterno. A “Capital da Fé”, como é conhecida a cidade, abriga também a maior romaria de carros de bois do mundo, que reúne cerca de 500 carros vindos de todas as regiões do estado e do país e participam de um tradicional desfile. As celebrações em Trindade contam com missas, novenas, vigílias, procissões e outras atividades religiosas.

A festa é uma expressão da religiosidade popular e tem um papel importante na cultura goiana e brasileira e oferece uma variedade de atrações culturais, como shows de música e dança, barracas de comida típica e feiras de artesanato. Essas atividades atraem cada vez mais turistas e contribuem para a economia local.

O Sebrae Goiás, em parceria com a prefeitura do município e a Secretaria de Turismo e Cultura, montou um estande para mostra e comercialização do artesanato produzido na cidade e na região. A gestora do Programa de Artesanato e Economia Criativa do Sebrae Goiás, Daniela Caixeta, disse que a expectativa é promover e dar visibilidade ao trabalho desenvolvido pelos artesãos locais que passaram a fazer parte do programa. O estande está localizado com destaque próximo à Basílica, na avenida Dr. Irany Pereira, em frente à Gruta Nossa Senhora de Lourdes, possui 36 metros quadrados e está com mais de 500 peças de 60 artesãos (de Trindade e região, da Associação dos Artesãos e da Escola Municipal de Arte e Escultura de Santa Maria). O estande atende os turistas das 7h às 22h30 durante todos os dias da festa, que vai até 2 de julho.

A analista Nadyene Albernaz, a gestora Daniela Caixeta, o prefeito Marden Gabriel, o secretário Warley Lopes e o gerente do Sebrae Marcelo de Oliveira Moura.

“Estamos desenvolvendo um trabalho junto à Secretaria de Turismo e Cultura para que esse segmento seja reconhecido tanto no estado quanto nacionalmente”, explica. O Sebrae já visitou os artesãos, fez a curadoria e o próximo passo, explica Daniela, é passar pelo processo de capacitação (gestão), qualificação e melhoria dos produtos para o mercado. O segmento mais forte em matéria-prima no artesanato do município é a cerâmica e a madeira. Segundo a gestora, o trabalho manual também foi identificado como potencial.

Para o prefeito do município, Marden Gabriel Alves de Aguiar Júnior, é um orgulho ter um local dedicado ao artesanato local na Festa do Divino Pai Eterno. “A parceria com o Sebrae Goiás tem feito diferença na vida dos nossos artistas e artesãos e agregado valor ao trabalho feito por eles. Para nós, é um privilégio incentivar e apoiar essa estrutura que vai mostrar peças que contam a história da cidade em um evento que promete atrair o maior número de fiéis de todos os tempos”, ressaltou o prefeito.

Parcerias inspiradoras

O secretário de Turismo e Cultura, Warley Lopes Vieira, disse que o estande do Sebrae proporciona um misto de sentimentos, que inspira e ao mesmo tempo emociona e traz alegria. “Aqui vemos formas, cores, sentimentos e particularidades em cada peça. Cada detalhe veio de um momento criativo de um artesão nosso e que vai ser levado para vários lugares do país. Essa conquista tem me emocionado muito”, enfatizou o secretário. Para ele, romper barreiras é fundamental para os artesãos neste momento.

Warley agradeceu todo o apoio recebido pela equipe do Sebrae e ao esforço e dedicação dos artesãos que buscam retratar a identidade da cidade. “É muito especial para nós termos um colegiado de pessoas capacitadas que vão levar o trabalho dos nossos artesãos para eventos como a CASACOR e participar de missões, capacitações e rodadas de negócios com a tradição do que é produzido aqui em Trindade. Tenho certeza de que nossa parceria com o Sebrae veio para trazer conhecimento e sucesso para esse segmento.”

O artesanato, de acordo com o gerente do Sebrae Goiás Marcelo de Oliveira Moura, dá a identidade além de reproduzir a vocação de cada lugar, e na “Capital da Fé” não é diferente. “O estande repleto de arte mostra que o artesanato é uma afirmação dessa vocação natural, que a região produz com qualidade e está pronta para ser reconhecida para além do turismo religioso”, explicou. O gerente frisou ainda que o Sebrae apoia os empreendedores do segmento não só na descoberta do potencial de cada um, mas também com oportunidade de capacitar e projetar o trabalho, transformando a vida de muitas pessoas por meio do empreendedorismo.

Transformar artesanato em negócio

Marcelo de Oliveira Moura, gerente do Sebrae: artesanato como afirmação da vocação natural da região.

Além de promover a cultura e a economia da região, o artesanato é um caminho para bons negócios. A gestora nacional do Programa de Artesanato do Sebrae, Durcelice Mascêne, esteve em Trindade, conheceu o estande e conversou com os artesãos. “Vocês têm um material local maravilhoso, com muita história, carregado de memórias afetivas que pode levá-los para o Brasil e para o mundo”, afirmou. Ela explicou que o segmento pode se tornar um excelente negócio, mas que é preciso trilhar um caminho de conhecimento em que os atores principais dessa jornada são os artesãos.

A gestora nacional lembrou que o aprendizado é essencial para os bons resultados e citou conhecimento em gestão, processo produtivo, inovação, adequação do produto, precificação, marketing como alguns temas de capacitação que o Programa de Artesanato do Sebrae oferece aos participantes. “Que vocês possam transformar o artesanato em uma fonte próspera de renda e desejo muita sorte a todos.”

Há sete anos produzindo esculturas com sucatas de ferro, Júlio Sousa, de Abadia de Goiás, também está com diversas peças expostas no estande do Sebrae, como uma máquina fotográfica, instrumentos musicais, réplicas de animais, entre muitas outras. “Estou muito feliz de estar aqui e ter a oportunidade de mostrar meu trabalho em uma festa que atrai milhares de pessoas. Tenho a certeza de que muitas portas vão se abrir para mim. Agradeço a toda equipe do Sebrae e das prefeituras de Abadia de Goiás e Trindade por essa oportunidade.”

A gestora nacional do Programa de Artesanato do Sebrae, Durcelice Mascêne, elogiou o trabalho local e disse que o segmento pode se tornar um excelente negócio.

Para a artesã e diretora da Escola Municipal de Artesanato e Escultura, que fica no distrito de Santa Maria, a 18 km de Trindade, Ivone Freitas, expor as peças produzidas por ela e pela escola na Festa do Divino Pai Eterno é um momento muito especial porque traz uma expectativa de um futuro melhor para muitas pessoas. “É maravilhoso poder representar o artesanato de Trindade nesse estande com tanta visibilidade”, comemorou. Ela também faz parte da associação de artesãos do distrito que foi criada há cinco anos e possui cerca de 50 associados. Argila é a principal matéria-prima usada na região, e a escola trabalha com crianças, pessoas de baixa renda, jovens, idosos, pessoas com deficiência e com transtornos de ansiedade e depressão.

-

Ivone Freitas, artesã e diretora da Escola Municipal de Artesanato e Escultura, localizada no distrito de Santa Maria

História de devoção

A história conta que Trindade, considerada a “Capital da Fé”, surgiu a partir de uma peça de artesanato, encontrada por um casal de agricultores mineiros, Constantino Xavier e Ana Rosa, próximo ao Córrego do Barro Preto. O casal teria se mudado para a região por volta de 1830 e que cerca de dez anos depois, acharam um medalhão esculpido em pedra sabão com a imagem da Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo) coroando a Virgem Maria. A notícia se espalhou na comunidade, e os moradores da vizinhança passaram a se reunir para rezar o terço em louvor ao Divino Pai Eterno.

Na época o local era denominado de Vila do Barro Preto, subordinada à Campininha das Flores (atualmente é o bairro de Campinas). A fé atraiu cada vez mais visitantes à residência do casal e em 1843 foi construída a primeira capela coberta com folhas de buriti, onde atualmente está o Santuário Matriz, para as reuniões de oração.

-

Réplica da primeira imagem da Santíssima Trindade

Pesquisadores contam que Constantino pediu ao renomado artesão de Pirenópolis José Joaquim Veiga Valle para confeccionar uma réplica maior do medalhão, que foi feita em madeira. O trabalho foi pago com o cavalo com o qual o agricultor foi buscar a peça. Ele teve que voltar a pé (151 quilômetros) em longos dias de caminhada, peregrinação e renovação de fé. Daí em diante, as romarias ganharam cada vez mais força.

Mas a notícia se propagou de forma vertiginosa, e os devotos começaram a se deslocar de lugares mais distantes. Outras capelas foram edificadas até que em 1.912 foi inaugurado o primeiro Santuário do Divino Pai Eterno, conhecido como Santuário Velho, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Em 2013, recebeu o título de Patrimônio Cultural Material do Brasil.

Para comemorar o centenário de fé e devoção, em 1943 foi lançada a pedra fundamental do atual santuário, que a partir de 1974 já realizava novenas no local. Em 1994, o templo foi reformado, com a ajuda de romeiros e devotos. Em abril de 2006, o Papa Bento XVI concedeu o título de Basílica Menor ao santuário e, no mesmo ano, em novembro, foi feita a instalação da Sacrossanta Basílica, a única do mundo dedicada ao Divino Pai Eterno, com capacidade para 2,5 mil lugares. E uma nova basílica, com capacidade para 13 mil lugares, está em construção e deve ultrapassar 200 mil metros quadrados, contando, além do santuário, com todas as áreas adjacentes, como estacionamento e demais espaços.

Toda essa história está registrada no livro “Trindade Turismo” (1ª edição, 2022), publicado pela prefeitura do município.

Algumas das peças em exposição no estande

O prefeito  reitera que o artesanato tem sido parte importante do desenvolvimento da cidade há 180 anos. “Afinal de contas, foi de uma peça de artesanato que surgiu o município que recebe com carinho milhões de devotos guiados pela fé.”

-

SAIBA MAIS

Como se tornar um artesão empreendedor

]]>
5Gbet Mapa do site